quarta-feira, 16 de outubro de 2013

O Coronel Spinola

Candido Spinola de Castro (meu Trisavô) nasceu em Palmas de Monte Alto, Bahia no dia 06 de Junho de 1856. Casou-se ainda em Monte Alto com Diolinda Cotrim, filha do Coronel Leolino Xavier Cotrim.  Eles vieram para o interior de São Paulo por volta de 1880, para a cidade de São Carlos do Pinhal (atual São Carlos).

Candido era filho do também Coronel da Guarda Nacional José Pereira de Castro, sendo que este pode ter os mesmos ancestrais de outros Pereira de Castro da região, todos com origens na cidade de Monção em Portugal.

Uma família com longo mapeamento ancestral, tendo como primeiros representantes Reis Visigodos que habitavam a região situada entre os Montes Cárpatos e o vale do Danúbio no ano de 418. Região onde hoje fica a Hungria. Estes visigodos migraram para oeste durante séculos, tendo no caminho invadido Roma e Atenas e contribuído para a queda do Império Romano. Fundaram o reino Visigodo com sede em Toullose e abrangendo quase todo o território das atuais França, Espanha e Portugal. Por volta de 711 mudaram-se para Castela, onde resistiram ao domíno árabe na Península Ibérica, no castelo de CastroJediz, onde surgiu o sobrenome Castro. Por volta de 1350 migraram para o outro lado da fronteira em Monção, Portugal.

A mãe de Candido era Spinola, Adelina de Souza Spinola, filha de Joseph Antônio de Souza Spinola, um daqueles 3 irmãos dizimeiros do Rei que chegaram a região em meados do Século XVIII, vindos dos Açoures e com ascendência italiana, de Gênova.

Voltando ao Coronel Spinola, foi homem urbano, político de destaque pelas cidades onde passou. Em São Carlos foi Curador Geral de Orfãos e também integrante do Partido Republicano. Entre 1892 e 1895 passou por Barretos, Jaboticabal e Bebedouro. Por volta de 1905 vai para Rio Preto, onde assume o 1º Cartório de Registro Geral e Hipotecas do município. Função que exerceria pelo resto da vida, teve ainda os títulos de Escrivão do Tribunal do Juri, Conselheiro do Hospital de Caridade (atual Santa Casa) e Coronel-Comandante da Brigada da Guarda Nacional em São José do Rio Preto.

Entre seus filhos estava Arlinda Spinola e Castro, minha bizavó.


Faleceu em Rio Preto em 30 de Agosto de 1931 e desde 1932 empresta o nome a uma das principais ruas da cidade. 

Coronel Spínola

Nenhum comentário:

Postar um comentário