quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Três dizimeiros chegam ao sertão da Bahia ...

Em meados do Século XVIII chegaram ao alto sertão baiano 3 irmãos: Timóteo, Joseph e Francisco. Eram dizimeiros da fazenda real, percorriam o sertão recolhendo impostos para a coroa portuguesa.

Dois deles são meus ancestrais diretos. Timóteo é trizavô paterno do meu bizavô materno, ou seja meu sexto-avô. Joseph é bizavô paterno da minha bizavó materna, ou seja meu quinto-avô. A família dos dois iria se cruzar muitos anos e quilômetros depois, no início do século XX, já no interior de São Paulo, quando meus bizavós Olindo de Oliveira Guimarães e Arlinda Spinola e Castro (os pais do meu avô Tutu) se casaram.

Ainda não consegui descobrir o nome dos pais deles, mas sei que vieram da Graciosa, pequena ilha portuguesa no arquipélago dos Açores*, praticamente no meio do Oceano Atlântico. Sei também que Timóteo Spínola de Souza nasceu em 1744.

Os dízimos da fazendo real eram impostos de 10%, como os da igreja, que eram passados ao rei por este ser o “Grão-Mestre da Ordem de Cristo”. Os dizimeiros eram “comerciantes” e não funcionários do reino, eles compravam contratos que os habilitavam a cobrar os impostos. Para ter acesso a estes contratos, além é claro de dinheiro para dar o lance inicial, era preciso certo prestígio, portanto apesar de não sabermos a origem exata deles, parece fato que já chegaram ao Brasil com alguma relação com a Corte Portuguesa.

O fato é que os três irmãos ficaram por lá e, especialmente meus dois ancestrais, fizeram história no sertão baiano. Eles se fixaram primeiro em Vila Velha, hoje Livramento de Nossa Senhora (também conhecida como Livramento do Brumado). Com a descoberta de Ouro na Chapada Diamantina, subiram a Serra das Almas, estabelecendo-se em Rio de Contas. Conta-se que Timóteo ficou rico com o ouro, chegando a remeter 4 arrobas do metal para Londres.

A família construiu uma lagoa e se estabeleceu em volta, esta lagoa tem até hoje o nome de Lagoa do Timóteo e deu origem ao nome do distrito de São Timóteo. Ao redor da Lagoa eles construíram alguns casarões** que estão lá até hoje.

Joseph foi um pouco mais ao sul, próximo do atual de município de Caetité, era proprietário da fazenda Pedra Redonda, onde plantava café***, o mesmo café que acompanharia minha família pelas próximas gerações. 

Timóteo morreu em Rio de Contas em 25 de Abril de 1824, com 80 anos. Sua filha mais velha Maria Delfina de Souza já estava casada e deu continuidade a minha ascendência. Pelo lado de Joseph, os filhos, entre eles minha tataravó Adelina de Souza Spínola, teriam se mudado para Lençóis junto com os irmãos que continuavam com as plantações de café.

***

                                          Casa do Barão - Lagoa do Timóteo - BA


* Foi grande a emigração Açoriana para o Brasil, incentivos do reino e limitações econômicas da ilha, somadas a um grande crescimento demográfico no Século XVIII fizeram com que muitos tentassem vida melhor em terras brasileiras.

** Em um destes casarões nasceu meu bizavô, Olindo de Oliveira Guimarães. O lugar era conhecido como “Casa do Barão”, pois pertenceu ao Barão de Vila Velha, Joaquim Augusto de Moura, irmão da minha penta-avó Ana Amélia de Moura Albuquerque, mas isso fica pra outra história ...

*** Apesar de ter encontrado referência ao café como atividade dos Spínola na Bahia, este cultivo não era muito comum na época e lugar, sendo mais provável terem criado gado ou plantado algodão, fica a dúvida ...

Fontes:

Livro Online sobre Anísio Spínola Teixeira: http://www.bvanisioteixeira.ufba.br/livro10/chama_capitulo2.html

Taberna da História do Sertão Baiano:
http://tabernadahistoriavc.com.br/deocleciano-pires-teixeira/


Geneall e outros Fóruns da internet

Muito Obrigado a todos que pesquisam e compartilham a história !!

5 comentários:

  1. Excelente esses comentários!... Ana Amélia de Moura e Albuquerque era minha trisavó.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Ricardo, procuro informações que possam esclarecer uma história de minha família. Meu bisavô Leonel Justiniano da Rocha foi o único herdeiro da Baronesa de Vila Velha; diz-se na familia que ele era filho ilegítimo de um dos 2 (do Barão ou da Baronesa) e por isso foi agraciado com a herança. você poderia me indicar alguma fonte genealógica ou documental que possa me ajudar nessa pesquisa? Obrigada

    ResponderExcluir
  3. Caro Ricardo,
    antes de mais nada, parabéns pelo Blog. Agradeço ainda a citação do www.vasconcelosbahia.blogspot.com.
    Interessei-me em particular pelo trecho em que afirma: "Timóteo é trizavô paterno do meu bizavô materno, ou seja meu sexto-avô". Supostamente três Vasconcellos Bittencourt casaram-se com três filhas de Timóteo, mas não temos confirmação documental. Gostaria de saber de qual das filhas ou filhos de Timóteo vc descende, e que informações adicionais poderia compartilhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nilton, um prazer conhecê-lo. Seu blog foi de muito importância nas minhas pesquisas. Eu sou descendente de sua filha mais velha: Maria Delfina de Souza, casada com Francisco de Vasconcellos Bittencourt. Por favor me avisa se posso ajudar com mais informações.

      Excluir
  4. um grande prazer em conhecer seu blog Ricardo. Moro em Seabra, eestudei bastante a genealogia dos Souzo Spinola. o patriarca do meu ramo genealogico foi Joseph de Souza Spinola que casou-se com Felicissima Mendonça Spinola, que geraram Rita Sophia de Souza Spinola Zama, esta foi para Lençois-Bahia,ja viuva , em comitiva com o Comendador Antonio de Souza spinola, seu irmão, levando os filhos dos seus dois casamentos, o primeiro com Francisco José do Nascimento Soriano, com quem eve 4 filhas,uma delas minha tetravó Virginia, e do outro casamento com 0 medico italiano Aristide Cezar Zama, natural de faenza na italia, pai de Cesar Spinola Zama. Virginia, casou-se com José Venancio Gomes de Azevedo (filho de Domingos Gomes de Azevedo, filho do Comendador Domingos Gomes de Azevedo) , e dessa união nasceu meu bisavô José Venancio Gomes de azevedo. Os nomes repetiam muito, por isso encontrei muita dificuldade para fazer as pesquisas. Queria tirar uma duvida com vc, pesquisei em Rio de Conta e outros arquivos mas nada encontrei a respeito da origem dos tres irmãos, qual foi a fonte que buscou que levou ate a Graciosa !!! abraço, parabéns !

    ResponderExcluir